Estudo reduz doença da mandioca com uso de CRISPR-CAS9

12-09-2018

Pesquisadores da Universidade da Califórnia e do Donald Danforth Plant Science Center, em St. Louis (EUA) estão utilizando a ferramenta CRISPR-Cas9 em um estudo que busca reduzir a incidência da doença das estrias marrons da mandioca (CBSD, na sigla em inglês), causada por duas espécies de vírus (cassava brown streak virus e Ugandan cassava brown streak virus).

A doença, que causa clorose foliar, estrias marrons nas hastes e necrose das raízes, limita a produtividade da mandioca na África Oriental e Central e ameaça a produção na África Ocidental.

Os cientistas conseguiram, por meio da edição mediada por CRISPR-Cas9, atenuar os sintomas aéreos da CBSD e reduziram a gravidade e a incidência da necrose na raiz nos mutantes CRISPR. A técnica se mostrou eficaz na promoção de tolerância à doença.

“Nossos resultados demonstram a capacidade de modificar múltiplos genes simultaneamente na mandioca para alcançar tolerância à CBSD. Estudos futuros vão aprofundar a pesquisa e traduzir o conhecimento para desenhar uma estratégia otimizada para proteger a mandioca da doença”, afirma o artigo.

O estudo está disponível em Plant Biotechnology Journal.

Fontes: ISAAA e Plant Biotechnology Journal