Estudo aponta que rotulagem reduz a oposição a OGM

17-07-2018

Um estudo da Universidade de Vermont (UVM) revela que uma divulgação simples pode melhorar a aceitação do consumidor em relação a produtos alimentícios contendo ingredientes geneticamente modificados (GM).

Liderado por Jane Kolodinsky, da Faculdade de Agricultura e Ciências da Vida da UVM, a pesquisa comparou os níveis de oposição dos consumidores a alimentos transgênicos em Vermont – único Estado norte-americano a implantar uma política de rotulagem obrigatória – com o restante do mundo.

Em 1º de julho de 2016, uma lei de Vermont entrou em vigor, exigindo rótulos em todos os alimentos contendo ingredientes GM até 27 de julho de 2016, quando uma lei federal a substituiu.

A análise mostrou que a oposição a alimentos GM caiu 19% em Vermont após a implantação de rotulagem obrigatória. O estudo é o primeiro a examinar o real impacto da atitude dos consumidores em relação aos OGM nesse cenário.

O estudo de Kolodinsky, em coautoria com Jayson Lusk, do Departamento de Economia Agrícola da Universidade de Purdue, sugere que um rótulo simples e direto revelando se um produto é “produzido ou parcialmente produzido usando ingredientes GM” pode melhorar a confiança do consumidor em tecnologias e permitir aos consumidores fazer uma decisão informada.

Fonte: ISAAAUniversity of Vermont e Purdue University