Argentina lança sua primeira batata GM

20-12-2018

A primeira batata GM da Argentina foi apresentada nesta semana, em Buenos Aires. Denominada Papa Spunta Ticar, o transgênico possui resistência ao vírus PVY (Potato Virus Y), um evento que vem sendo desenvolvido desde 1999 em conjunto com o Instituto de Pesquisa em Engenharia Genética e Biologia Molecular (INGEBI-CONICET) e recentemente aprovado pelas autoridades reguladoras argentinas.

“A Papa Spunta Ticar significa para nós a culminação de um processo de longa data para a realização do primeiro evento de biotecnologia vegetal do país. Chegamos cedo e isso significa continuar a trabalhar no fornecimento de soluções para a indústria”, explicou o presidente do Sidus Group, Marcelo Argüelles, durante o evento realizado na cidade de Buenos Aires com a presença de representantes do poder público, cientistas, produtores, empresários e líderes da agroindústria.

“Esses processos nos mostram que existe tecnologia além da computação e do mundo digital. O biológico é uma demonstração clara de que devemos apostar como país para o desenvolvimento de outras tecnologias”, enfatizou Argüelles.

A Tecnoplant, empresa do Grupo Sidus, modificou o código genético da batata para resistir ao vírus PVY em um processo semelhante aos utilizados para produzir vacinas no caso de humanos ou animais – ativando o sistema imunológico para defesa contra um patógeno específico. De acordo com a empresa, essa tecnologia vai proporcionar uma redução próxima de 10% nos custos de produção de batata de consumo fresco, bem como menor uso de agroquímicos (em especial, inseticidas) e a consequente redução do impacto ambiental.

Fonte: Agrolink – Leonardo Gottems e Tecnoplant